Um sargento da invadiu uma sala do quartel armado com um fuzil e disparou contra dois colegas de trabalho, na manhã desta segunda-feira, 15, em Salto, interior de . Os dois policiais morreram. Uma das vítimas, o capitão Josias Justi, era comandante da PM na cidade. Também morreu o sargento Roberto da Silva. Depois dos crimes, o atirador se entregou e foi preso.

O ataque aconteceu por volta das 9 horas e, até o início da tarde, a motivação dos crimes ainda era investigada. De acordo com testemunhas, o sargento Gouveia invadiu a base, pegou um fuzil que estava guardado no local e mandou outros policiais se afastarem. Em seguida, ele entrou na sala da 3ª Companhia da Polícia Militar onde estava o comandante e o outro policial e trancou a porta. Testemunhas ouviram três disparos.

Após os tiros, outros policiais entraram no local, desarmaram e detiveram o atirador.

Uma equipe do prestou socorro às vítimas, mas os dois policiais não resistiram à gravidade dos ferimentos. Os óbitos foram constatados no local. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba. Os tiros causaram grande mobilização na companhia. Um helicóptero chegou com a corregedoria da PM da capital.

O capitão Josias tinha 39 anos, era casado e pai de dois filhos pequenos, de 3 e 5 anos. Ele havia recebido a patente em 2020 e foi designado para o comando da companhia da PM em Salto. O sargento morto tinha 52 anos.

A Secretaria de do Estado de São Paulo (SSP-SP) confirmou o ocorrido e disse, em nota, que a corregedoria da corporação busca elementos para esclarecer a motivação. A Polícia Militar lamentou a ocorrência na qual “dois policiais militares foram atingidos por disparos de arma de fogo efetuados por sargento da instituições por razões ainda a serem esclarecidas”.

Conforme a pasta, o crime ocorreu nas dependências da 3ª Companhia do 50º Batalhão da Polícia Militar do Interior (50º BPM/I), situada na cidade de Salto. “Infelizmente, as vítimas entraram em óbito. Todas as providências de Polícia Judiciária Militar estão em andamento neste momento e a Corregedoria da Instituição acompanha as apurações”, informou.

Policial mata colegas no Ceará

Na madrugada deste domingo, 14, quatro policiais civis foram mortos a tiros no interior da Delegacia Regional da Polícia Civil de Camocim, cidade localizada no noroeste do estado do Ceará. O autor dos disparos, que também é agente da polícia civil, foi preso. Os tiros mataram três escrivães e um inspetor. O policial que efetuou os disparos não teve o nome divulgado. A motivação do ataque ainda é investigada.