A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) cobrou em nota a “imediata e profunda investigação” do assassinato do seu irmão, o médico Diego Ralf Bomfim, atacado e morto a tiros junto com outros dois colegas na madrugada desta quinta-feira (5), na Barra da Tijuca, bairro da zona oeste do Rio. A manifestação foi divulgada por nota da também deputada Fernanda Melchionna, delegada por Sâmia a falar sobre o caso.

“Queremos agradecer todas as mensagens de solidariedade e apoio, que vieram de todos os lugares. Evidentemente, Sâmia está devastada nesse momento terrível de perda e dor, assim como o seu companheiro Glauber Braga, que a acompanha neste momento”, detalhou Fernanda.

Pelas imagens divulgadas pela imprensa, tudo indica que se trata de uma execução, acrescenta a nota. “Exigimos imediata e profunda investigação para descobrir as motivações do crime, assim como a identificação e prisão dos executores.”

Lula

Diego Ralf Bomfim foi um dos três assassinados nesta madrugada. Marcos de Andrade Corsato e Perseu Ribeiro Almeida também morreram no local. Por meio das redes sociais, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que recebeu com grande tristeza e indignação a notícia da morte dos médicos na orla da Barra da Tijuca. Ele citou que a Polícia Federal está acompanhando o caso.

O ministro da Justiça, Flávio Dino, disse ter determinado à Polícia Federal “que acompanhe as investigações sobre a execução de médicos no Rio” em face da hipótese de relação com a atuação de dois parlamentares federais. Sâmia é companheira do deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ).

Em nota, o Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT) do das Clínicas da Faculdade de Medicina da de (HCFMUSP) afirma que recebeu com consternação a notícia do falecimento de Marcos de Andrade Corsato, médico assistente dedicado e atuante do grupo de Tornozelo e Pé da instituição, bem como dos ex-residentes Diego Ralf Bomfim e Perseu Ribeiro Almeida.