A Petrobras anunciou nesta terça-feira (15) que o médio de venda de gasolina para as distribuidoras passará de R$ 2,52 para R$ 2,93 por litro. O aumento de R$ 0,41 por litro já vale a partir da quarta-feira (16).

O também terá um aumento no preço, dessa vez de R$ 0,78. Com isso, o combustível será comercializado a R$ 3,80 o litro.

Por conta da mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro na gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor será, em média, de R$ 2,14 a cada litro vendido na bomba.

Considerando a mistura de 88% de diesel A e 12% de biodiesel, a parcela da estatal será de R$ 3,34.

Mesmo assim, no ano, a variação acumulada do preço de venda de gasolina da Petrobras para as distribuidoras é uma redução de R$ 0,15 por litro. Já a redução acumulada do diesel em 2023 é de R$ 0,69 por litro.

Em nota, a estatal informou que a nova estratégia comercial da companhia permitiu que a Petrobras conseguisse controlar o preço dos apesar da volatilidade do mercado internacional. Contudo, a situação levou a petroleira ao limite de sua capacidade operacional e ao aumento das importações de combustíveis. Diante desse cenário, o aumento era a única saída.

“Ciente da importância de seus produtos para a sociedade brasileira, a companhia reitera que na formação de seus preços busca evitar o repasse da volatilidade conjuntural do mercado internacional e da taxa de câmbio, ao passo que preserva um ambiente competitivo salutar nos termos da legislação vigente”, comunicou a Petrobras.