A Justiça de Santa Catarina rejeitou um pedido do Ministério Público de preventiva do professor da rede estadual de ensino, Rubenval Sérgio Duarte, filmado por alunos elogiando o ditador nazista Adolf Hitler em sala de aula.

No vídeo, que repercutiu nas redes sociais, Rubenval confirma com veemência que apoia as atrocidades do ditador. “Tenho admiração por Hitler, enormemente”, disse aos estudantes.

O inquérito no qual o professor é investigado é sigiloso. A informação de que o pedido de prisão preventiva foi negado foi divulgada pelo Ministério Público de Santa Catarina.

O juízo da 2ª Vara de Imbituba, cidade do litoral catarinense em que se deu o episódio, determinou que, ao invés da prisão, Rubenval seja afastado por 180 dias do exercício das funções.

Ele já respondia a um processo administrativo disciplinar perante a Secretaria Estadual de Santa Catarina e foi afastado no final de 2022 por causa de outras declarações de apreço pelo nazismo.

Diante do novo incidente, o órgão determinou um novo afastamento, por 60 dias, no âmbito administrativo. Esse prazo será estendido para atender à determinação da Justiça.

Rubenval Duarte é investigado pela 40ª Promotoria de Justiça de Imbituba e pelo Núcleo de Enfrentamento aos Crimes de e Intolerância

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE SANTA CATARINA

Na quinta-feira, 16, a Secretaria Estadual de de Santa Catarina enviou a seguinte nota ao Estadão:

“A Secretaria de Estado da Educação (SED), por meio da Coordenadoria Regional de Laguna, informa que, assim que tomou conhecimento da conduta do professor na manhã desta terça-feira, 14, começou a tomar todas as medidas cabíveis, visto que há um processo em andamento. O afastamento do professor foi prorrogado 60 dias e a SED informa que irá tomar todas as providências dentro da legalidade.”

COM A PALAVRA, RUBENVAL SÉRGIO DUARTE

A reportagem busca contato com o professor Rubenval Sério Duarte O espaço está aberto para manifestação.