Durante um programa ao vivo, o jornalista Wellington Júnior foi detido após uma delegada, identificada como Alice Lang, pedir para a transmissão ser interrompida, em Belém, no Pará. O caso foi divulgado na sexta-feira (20) pela Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo).

O repórter estava acompanhado do cinegrafista Reginaldo Rodrigues, em transmissão para o programa Bora Cidade, da RBATV, afiliada da Band no Pará, no dia 13 deste mês. Eles reportavam o de uma bicicleta por um trio de criminosos.

De acordo com testemunhas, os profissionais estavam no pátio da delegacia, quando Alice chegou gritando. Ela ordenou que a transmissão fosse encerrada e não cedeu à explicação do repórter de que estava ao vivo.

Abraji

A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) informou que, como a reportagem não terminou, Wellington Júnior ficou detido por duas horas dentro da sala da delegada, até que assinasse um termo circunstanciado de desobediência à autoridade policial.

Pelas redes sociais, a Abraji cobrou esclarecimentos sobre o caso para a Civil.

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor-PA) repudiou a atitude da delegada e apontou possível restrição à liberdade de imprensa.

“O Sinjor-PA entrou imediatamente em contato com o colega por telefone, colocou a assessoria jurídica à disposição para acompanhar o caso e ofereceu apoio no que fosse necessário. Na ocasião, Wellington Jr. informou que a TV RBA garantiu suporte jurídico e agradeceu a solidariedade”, disse a organização.

Em nota, a RBATV disse que os profissionais foram constrangidos e que acompanha o caso.

“Eles foram constrangidos e impedidos de fazer o pela delegada de Polícia Civil da seccional. Ela ainda não autorizou que eles deixassem o prédio até que fosse feito um Boletim de Ocorrência. Em nenhum momento, eles descumpriram qualquer ordem ou pedido prévio feito pela autoridade policial e ficaram retidos por mais de duas horas. A RBATV por meio de sua assessoria jurídica acompanha o caso e presta toda assistência aos profissionais da emissora”, pontuou a emissora.

A Corregedoria da Polícia Civil do Pará informou que já tem conhecimento do caso e “vai levantar todas as informações necessárias para que o fato seja devidamente esclarecido”.

Saiba Mais