O governo de Israel prometeu ao Itamaraty que até a quarta-feira, 8, o grupo de 34 brasileiros retidos na Faixa de Gaza deixará o território palestino, informou a assessoria de imprensa da chancelaria na noite desta sexta-feira, 3. A garantia foi dada pelo ministro de Relações Exteriores de Israel Eli Cohen ao chanceler Mauro Vieira. Em conversa telefônica pela manhã, Cohen prometeu que ‘na pior das hipóteses’, o grupo deixa Gaza nessa data.

Hoje, pelo terceiro dia seguido os brasileiros ficaram de fora da lista organizada por Israel e para retirar estrangeiros de Gaza, depois de um acordo ter sido negociado no início da semana com auxílio dos e do Catar. Em média, saem 500 pessoas por dia e há mais de 6 mil estrangeiros ou cidadãos com dupla cidadania em Gaza.

PT acusa Israel de discriminar o Brasil por não liberar saída de brasileiros retidos em Gaza

A retirada de estrangeiros começou na quarta-feira e por três dias seguidos não incluiu nenhum brasileiro no grupo. Desde os atentados do Hamas contra Israel, em 7 de outubro, o governo tenta, sem sucesso, tirar os brasileiros de Gaza.

Em outubro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou em mais de uma oportunidade a retaliação de Israel ao Hamas pelos ataques terroristas do início daquele mês. Lula chegou a qualificar a ação israelense de ‘genocídio’.

Apesar disso, a diplomacia brasileira diz que não há retaliação política na elaboração das listas, feitas em conjunto por Israel e Egito, após um acordo mediado no início da semana com auxílio de e Catar.

Negociações em curso

A passagem de Rafah para a retirada de estrangeiros ou palestinos com dupla cidadania, além de feridos em estado grave está aberta desde o dia 31.

O primeiro grupo, que reunia 450 cidadãos de alguns países europeus e da Austrália, além de trabalhadores de agências humanitárias, deixou Gaza na quarta-feira. Na quinta pela manhã, um segundo grupo, composto majoritariamente por americanos, cruzou o posto de Rafah em direção ao Sinai. Um terceiro grupo deixou Gaza na terça, mais uma vez, sem brasileiros.

Segundo fontes do Itamaraty, novas listas devem ser publicadas nos próximos dias e espera-se que os brasileiros possam estar nelas. O grupo de brasileiros está desde o mês passado em casas alugadas pelo Itamaraty em Rafah e Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza, à espera de uma definição na fronteira, fechada desde o início da guerra.

O governo brasileiro tem feito apelos aos governos de Israel e do Egito para que os brasileiros possam ser retirados de Gaza. Um avião do governo está no Cairo à espera de uma sinalização das autoridades locais.

Saiba Mais