O prazo nacional para recadastramento de armas de fogo que venceria no próximo dia 3 de abril foi prorrogado pelo Governo Federal. Em publicação no DOU (Diário Oficial da União), nesta quarta-feira (29), ficou definido que o novo prazo se encerra em 3 de maio.

A prorrogação determinada pelo já tinha sido adiantada pelo ministro Flávio Dino, em entrevista na noite desta terça-feira.

A bancada da bala, como são conhecidos os parlamentares ligados ao setor armamentista, já haviam solicitado a prorrogação do prazo, pedido atendido pelo Governo Federal.

O recadastramento das armas era uma promessa de campanha do então candidato à presidência Luiz Inácio da Silva (PT). O Governo Federal determinou que exigiria o recadastro em fevereiro, o prazo inicial era de 60 dias, e agora mais 30 dias foram concedidos.

Durante a gestão Jair Bolsonaro, uma série de medidas que flexibilizaram o acesso a armas foram implantadas no Brasil.

Registros de armas aumentaram em Mato Grosso do Sul

Ainda em 2020, nos primeiros anos das regras facilitadas, Mato Grosso do Sul já tinha o dobro de emissão de registros de armas do que o ano anterior.

O segundo semestre de 2020 apresentou crescimento, chegando a 21, em julho. Conforme dados do Sinarm (Sistema Nacional de Armas), de abril a dezembro de 2019 foram emitidos 28 registros no Estado.

Já em 2020 (de janeiro a agosto), esse número chegou a 78. Junho, julho e agosto bateram recordes de emissões com 14, 21 e 14 documentos, respectivamente – números nunca alcançados desde abril de 2019. O mês de abril de 2020 chegou perto com 10 registros emitidos.

Segundo a PF, são considerados “registros”, os pedidos de aquisição, sendo que registro em si pode ser de outro sistema, de já adquirida. A média mensal de 2019 fechou em 3,11 e de 2020 está em 9,5, registrando um aumento de 205%.