O governo federal vai se reunir a partir da segunda-feira (10), com plataformas de para cobrar um reforço no monitoramento de conteúdos relacionados a discurso de ódio e articulação de atos violentos em escolas.

“Nesta semana vamos conduzir reuniões para que plataformas sejam chamadas a terem mais cuidado”, afirmou nesta sexta-feira (7), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, em entrevista à GloboNews.

Dino disse acreditar na autorregulação do setor, mas afirmou que a pasta vai editar normas cabíveis para que as plataformas também ajudem nesses casos específicos. “Assim como as plataformas atuam de modo eficiente em relação ao combate à pedofilia, por exemplo, é essencial que eles também monitorem a circulação desses outros conteúdos criminosos”, completou.

A atuação da pasta é a mais imediata, disse Dino, mas outra prioridade é a frente do Ministério da na prevenção de ataques como o que ocorreu em Blumenau nesta semana e causou a morte de quatro crianças.

Sobre os R$ 150 milhões anunciados pelo governo para medidas de prevenção a este tipo de violência, o ministro afirma que a destinação não será definida por Brasília, mas a partir das demandas de cidades e municípios. “Certamente terão cidades que vão apresentar projetos como a ronda de veículos por escolas, enquanto outras terão necessidades maiores”, afirmou.

Na quinta-feira, 6, o e Segurança Pública anunciou o início da Operação Escola Segura, com o objetivo de realizar ações preventivas e repressivas contra ataques nas escolas de todo o País.

(Por Aramis Merki II e Circe Bonatelli)