Único integrante do alto escalão do governo Luiz Inácio da Silva na , o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, disse no domingo, 26, que o cancelamento da de Estado adiou a assinatura de acordos de cooperação entre os países. O Itamaraty havia informado a expectativa de ao menos 20 acordos serem firmados, em setores distintos da economia.

A viagem do presidente Lula à China precisou ser adiada em razão de uma pneumonia diagnosticada no presidente ainda na semana passada. Segundo o Planalto, Lula está bem e segue tratamento com medicamentos.

Conforme Fávaro, no entanto, negócios entre empresas brasileiras e chinesas deverão ser anunciados porque a agenda empresarial foi mantida.

“Acordos importantes seriam e serão assinados, mas, por óbvio, quando for remarcada a agenda”, disse o ministro.

Fávaro afirmou que o adiamento da missão não compromete, apenas atrasa a consolidação de entendimentos bilaterais.

Vaca louca

O ministro disse que os chineses já indicaram disposição em rediscutir o protocolo que prevê o autoembargo – quando surge um caso suspeito, o envio da carne à China é embargado de imediato até a investigação ser concluída.

Para Fávaro, é o momento de se revisar o acordo de 2015.

Saiba Mais