VÍDEO: Após 36 anos em casamento abusivo, mulher faz buzinaço para comemorar divórcio no DF

Histórias de feminicídio motivaram Tânia Lacerda a ter coragem para pedir o divórcio
| 28/01/2022
- 12:57
VÍDEO: Após 36 anos em casamento abusivo, mulher faz buzinaço para comemorar divórcio no DF
Foto: Reprodução

Aposentada usou a buzina e latinhas amarradas ao para-choque do carro para comemorar o divórcio. Tânia Lacerda, de 55 anos, é técnica de Enfermagem aposenta e após três décadas em um casamento cheio de abusos físicos e emocionais ela comemora o divórcio com um buzinaço de 8 km entre Taguatinga e Ceilândia, municípios do Distrito Federal. O vídeo com a aposentada comemorando repercutiu nas na última terça-feira (25). 

Tânia relata que viveu muitos anos sofrendo com situações que nem mesmo sua família ficou sabendo, para ela quando chegou a notícia que a justiça havia liberado seu divórcio a comemoração foi inevitável "Nem sei como consegui viver tantos anos assim", declarou.

Nas imagens é possível ver que o carro de Tânia está enfeitado com latinhas no para-choque e no vidro traseiro a mensagem: “Enfim divorciada”. 

Coragem para pedir divórcio

A cada 2 minutos, o Brasil registra uma ocorrência de violência doméstica contra mulheres, conforme Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública 2019. Os dados comprovam que muitas mulheres sofrem com abusos psicológicos e físicos, o mesmo que aconteceu com Tânia.

Foi exatamente por essas histórias de feminicídio que a recém-divorciada teve coragem para fazer o pedido de divórcio. Para ela, o caminho para tal decisão foi seu longo sofrimento dentro do matrimônio, a primeira agressão aconteceu há 20 anos. 

Com mensagem de amor próprio e coragem, Tânia declara que, assim como ela, muitas mulheres acham que seu parceiro irá mudar, mas não muda. "A gente tem que tomar consciência e buscar nosso amor próprio pra sair desses ciclos de abuso", finalizou.

Confira o vídeo da comemoração:

*Com informações do Portal Diário do

Veja também

Desembolso anual do governo deve chegar a R$ 90 bilhões

Últimas notícias