Polícia investiga 30 possíveis casos de estupro por anestesista no RJ

A informação foi confirmada pela delegada titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti, Bárbara Lomba
| 14/07/2022
- 16:01
Polícia investiga 30 possíveis casos de estupro por anestesista no RJ
O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra (Reprodução Redes Sociais)

A Polícia Civil investiga outros 30 possíveis casos de estupro cometidos pelo médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, por estuprar uma mulher grávida durante o parto, em São João de Meriti, no Rio de Janeiro.

A informação foi confirmada pela delegada titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti, Bárbara Lomba. “São relatos ainda. Precisamos investigar. São 30 já identificadas como possíveis”, declarou.

Duas possíveis vítimas vão prestar depoimento nesta quinta-feira (14), segundo Bárbara Lomba. As mulheres estavam no Hospital da Mulher Heloneida Studart e foram operadas no mesmo dia em que o crime foi flagrado no local. “Elas foram operadas no dia 10 de julho, antes daquela vítima nas imagens. Já temos informações de que elas foram sedadas também, possivelmente desnecessariamente.”

Material Recolhido

Na quarta-feira (13), o material recolhido na sala de do hospital da mulher foi encaminhado para o Instituto de Criminalística Carlos Éboli.

São as gazes usadas para limpar os vestígios de crime no rosto da mulher que aparece no vídeo do estupro, as ampolas do anestésico aplicado na mulher e o celular usado para gravar o flagrante.

''Criminoso em série''

Em entrevista na quarta-feira (13), a delegada também afirmou que Giovanni é “um criminoso em série”. “Diante da repetição das ações criminosas, das características de compulsividade que se observam e da possibilidade de várias vítimas feitas naquelas condições, podemos afirmar que se trata de um criminoso em série”, explicou.

Conforme o site Yahoo, Bárbara Lomba conversou pelo telefone com a mulher que aparece em um vídeo sendo estuprada pelo anestesista. Segundo ela, a ligação para a vítima do vídeo não teve como objetivo colher informações sobre o caso, mas sim para prestar solidariedade. A policial contou que a mulher ficou sabendo do estupro nesta quarta.

*Com informações do site Yahoo

Veja também

A Justiça do Paraná autorizou o agente penitenciário federal Jorge Guaranho a cumprir a prisão...

Últimas notícias