Brasil

Nova alta no diesel aumenta risco de greve dos caminhoneiros

O novo aumento no preço do diesel deixa o risco de uma nova greve dos caminhoneiros ainda maior. A alta de 4,4% aplicada pela Petrobrás passou a valer nesta quarta-feira (27) nas refinarias, em breve o reajuste deve chegar às bombas dos postos de todo o País. Um estudo mostra que o preço médio do […]

Gabriel Neves Publicado em 28/01/2021, às 12h06 - Atualizado às 12h06

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil - Foto: Agência Brasil

O novo aumento no preço do diesel deixa o risco de uma nova greve dos caminhoneiros ainda maior. A alta de 4,4% aplicada pela Petrobrás passou a valer nesta quarta-feira (27) nas refinarias, em breve o reajuste deve chegar às bombas dos postos de todo o País.

Um estudo mostra que o preço médio do diesel subiu 2,29%, o levantamento foi feito em postos de todo o País nas primeiras semanas de 2021, conforme publicado no jornal Estadão.

Representantes dos caminhoneiros ameaçam uma nova paralisação para o dia 1º de fevereiro. O movimento ganhou apoio da CNTLL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística).

De acordo com representantes da entidade, a orientação é para que os caminhoneiros cadastrados participem da paralisação.

O Presidente da Abrava (Associação dos Condutores de Veículos Automotores), Wallace Landin diz que a adesão está aumentando. Segundo ele, ficou difícil para os caminhoneiros arcar com os altos custos. “Precisamos cobrar o governo para reduzir os impostos sobre o combustível”.

O governo vem tentando acalmar os ânimos para evitar uma greve de caminhoneiros. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que estuda a redução da cobrança do PIS/Cofins sobre o diesel.

Jornal Midiamax