Brasil

Governo de SP vai vacinar cidade inteira para testar eficiência da CoronaVac

O Governo do Estado de São Paulo vai colocar em prática nas próximas semanas um plano audacioso para testar a eficiência da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria da farmacêutica chinesa Sinovac com o Instituto Butantan. Segundo a CNN Brasil, grande parte da população de Serrana, cidade da região metropolitana da capital paulista, […]

Adriel Mattos Publicado em 07/02/2021, às 14h21 - Atualizado às 14h23

Doses da Coronavac sendo produzidas no Instituto Butantan (Foto: CNN Brasil)
Doses da Coronavac sendo produzidas no Instituto Butantan (Foto: CNN Brasil) - Doses da Coronavac sendo produzidas no Instituto Butantan (Foto: CNN Brasil)

O Governo do Estado de São Paulo vai colocar em prática nas próximas semanas um plano audacioso para testar a eficiência da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria da farmacêutica chinesa Sinovac com o Instituto Butantan. Segundo a CNN Brasil, grande parte da população de Serrana, cidade da região metropolitana da capital paulista, será imunizada.

Dos 43 mil habitantes, 30 mil serão imunizados, o que representa toda a parcela de adultos da população. “Esse é um estudo de eficiência e não de eficácia”, frisou Dimas Covas, diretor-presidente do Butantan.

O Instituto Butantan financia inteiramente o estudo, que vai ser realizado com doses que sobraram das testagens anteriores. Apenas moradores de Serrana estão autorizados a se vacinarem.

Os estudos feitos até agora verificavam a capacidade da vacina de proteger as pessoas que receberam o imunizante em relação a quem não recebeu. 

Agora vai ser verificado o efeito da vacina sobre o avanço da epidemia como novos casos, mortes, ocupação de leitos de UTI etc. Em estudos normais, esses resultados só seriam alcançados quando um país termina a vacinação em massa de sua população.

Serrana foi escolhida porque a cidade é pequena, mas tem uma boa movimentação de pessoas, o que facilita a circulação do vírus. Além disso, a cidade chegou a atingir 5% das pessoas infectadas – o que é um dos índices mais altos de prevalência da doença no estado. 

A cidade será dividida em quatro áreas, cuja população será vacinada em datas diferentes para comparar os efeitos da CoronaVac nas regiões. A aplicação da primeira dose vai começar no dia 17 de fevereiro e prosseguirá até 10 de março. Em seguida, será feita a segunda dose.

Jornal Midiamax