Brasil

Em um mês, segundo cachorro morre durante voo da companhia aérea LATAM

Cãozinho chamado Weiser teria roído estrutura para transporte e se asfixiado

Renata Barros Publicado em 19/10/2021, às 08h00

Weiser era transportado para Sergipe
Weiser era transportado para Sergipe - Foto: Reprodução

Um cachorro da raça american bully, chamado Weiser, morreu enquanto viajava de Guarulhos (SP) para Aracaju (SE), em um voo da empresa aérea LATAM na última quinta-feira (14). A irmã da dona do cãozinho, a nutricionista Giulia Conta, compartilhou o caso nas redes sociais. Após o ocorrido, a LATAM suspendeu por 30 dias a venda de transporte de animais.

O laudo veterinário aponta como a causa da morte asfixia. O cachorro teria roído parte da caixa em que era transportado, no porão da aeronave.

Caso ocorreu exatamente um mês depois de outro cachorro falecer durante uma viagem com a companhia aérea. Em 14 de setembro, um filhote de Golden Retriever morreu após voo de São Paulo para o Rio de Janeiro.

[Colocar ALT]
Foto: Reprodução

Em nota, a Latam afirma que seguiu todos os protocolos necessários para o transporte de animais e que o kennel, canil de madeira utilizado para as viagens, “estava em concordância com o processo de transporte de animais e de grande porte da LATAM”.

A companhia afirma que os viajantes que já tiverem comprado o transporte de pets para os próximos 30 dias têm a opção de cancelar o reembolso nos canais de atendimento, adiar o transporte ou seguir com o serviço de forma regular.

Confira abaixo o posicionamento na íntegra da LATAM:

“A LATAM Airlines Brasil está consternada com o ocorrido ao cão da raça American Bully, o Weiser, transportado na tarde de 14 de outubro de 2021, entre o aeroporto de Guarulhos – São Paulo para o aeroporto de Aracaju – Sergipe e que chegou ao destino em óbito.

Em laudo emitido pela clínica veterinária que atendeu o Weiser, foi observado que ele roeu o kennel de madeira em que estava e se asfixiou. O Kennel estava em concordância com o processo de transporte de animais e de grande porte da LATAM.

A LATAM já vinha fazendo uma análise profunda de todos os procedimentos deste tipo de transporte, e neste lamentável evento cumpriu todos os processos de forma correta. Diante deste cenário, a empresa decidiu neste momento suspender a venda para o transporte de PETS no porão das aeronaves nos 30 próximos dias para o mercado brasileiro. O cliente que já adquiriu o serviço em questão poderá seguir com o transporte de forma regular, postergar sem custo ou então optar pelo reembolso em nossos canais de atendimento.

A Latam está acompanhando o caso e segue à disposição para prestar toda a assistência aos tutores do cão.”

Jornal Midiamax