Brasil

Cansino pede autorização para uso emergencial e Anvisa avalia vacina contra Covid-19

Vacina chinesa poderá ser usada no Brasil se Anvisa autorizar

Dândara Genelhú Publicado em 19/05/2021, às 14h29

Cansino é aplicada contra Covid-19 em apenas uma dose.
Cansino é aplicada contra Covid-19 em apenas uma dose. - Foto: Reprodução.

Na terça-feira (18), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu o pedido de autorização para uso emergencial da Cansino. A vacina Convidecia é produzida por um laboratório chinês.

O pedido chegou às 23h26 da terça-feira e foi feito pela empresa Belcher Farmacêutica, representante do laboratório chinês CanSino Biologics no Brasil. Em nota, a Agência afirma que a análise da documentação já foi iniciada.

“No momento, está sendo feita a triagem para verificar se todas as informações para a avaliação da Agência foram devidamente apresentadas”, detalhou. De acordo com a Lei 14.124, de 10 de março de 2021, a Anvisa possui até sete dias úteis para se manifestar sobre a vacina.

Antes mesmo de formalizar o pedido, representantes do laboratório CanSino se reuniram com a Anvisa. Os encontros aconteceram em 8 e 15 de março.

“Nessas ocasiões, foram apresentados os procedimentos necessários e as informações que a empresa deveria fornecer para que a Agência pudesse analisar o seu pedido”, lembrou a Agência. O imunizante da CanSino é produzido a partir de um adenovírus humano não replicante e deve ser usado com apenas uma dose.

Jornal Midiamax