Brasil

Bolsonaro quer mais decretos sobre armas e diz não ter medo do povo armado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (4) que vai editar mais três decretos sobre armas. O chefe do poder executivo afirmou que não tem medo do povo armado. Durante a fala, Bolsonaro não especificou o conteúdo das mudanças. Bolsonaro explicou que já está combinado com os novos presidentes da Câmara e Senado a votação […]

Carolina Rocha Publicado em 04/02/2021, às 15h17

Reprodução
Reprodução - Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (4) que vai editar mais três decretos sobre armas. O chefe do poder executivo afirmou que não tem medo do povo armado. Durante a fala, Bolsonaro não especificou o conteúdo das mudanças.

Bolsonaro explicou que já está combinado com os novos presidentes da Câmara e Senado a votação de um projeto para dificultar a punição de militares por mortes ocorridas durante a operação de Garantia da Lei e da Ordem. A fala foi feita durante cerimônia de inauguração de um Centro Nacional de Treinamento de Atletismo em Cascavel (PR). O presidente afirmou que não tem “medo do povo armado”.

“Semana que vem vamos baixar mais três decretos sobre armas e CAC (Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador). Arma é um direito de vocês. Arma evita que um governante de plantão queira ser diretor. Eu não tenho medo do povo armado. Muito pelo contrário, me senti muito bem (em) estar ao lado do povo de bem armado no nosso Brasil”.

No mesmo evento, Bolsonaro também falou que conversou com os presidentes do congresso, para a abertura da votação de um projeto que estabelece um excludente de ilicitude para militares que participarem de GLO. Que faz parte da lista de prioridades entregue nesta quarta (4).

A outra proposta determina que militares que participem de GLOs não podem ser presos em flagrante caso matem alguém por legítima defesa. O militar só poderá responder por eventual “excesso doloso” e poderá ter a pena atenuada.

Jornal Midiamax