Brasil

Supremo: Barroso diz que saída de Moro esfria esforço de transformação no Brasil

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse em uma conferência promovida pela XP investimentos, nesta manhã (24), que a demissão do ministro da Justiça, Sérgio Moro, revela um certo arrefecimento do esforço de transformação do Brasil” no sentido da luta contra a corrupção. “A Operação Lava-Jato passou a ser um espaço, […]

Matheus Maderal Publicado em 24/04/2020, às 10h54

Luís Roberto Barroso. (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)
Luís Roberto Barroso. (Foto: Nelson Jr./SCO/STF) - Luís Roberto Barroso. (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse em uma conferência promovida pela XP investimentos, nesta manhã (24), que a demissão do ministro da Justiça, Sérgio Moro, revela um certo arrefecimento do esforço de transformação do Brasil” no sentido da luta contra a corrupção.

“A Operação Lava-Jato passou a ser um espaço, no imaginário social brasileiro, de superação da velha ordem, em que era legítimo o desvio de dinheiro público. Significou uma mudança de paradigma. Há pessoas que gostam mais ou menos do ministro Sergio Moro, mas o fato é que ele é um símbolo desse protesto histórico”, disse Barroso.

O ministro ponderou, contudo, que há uma mudança na cultura do brasileiro no quis diz respeito à corrupção. “Hoje em dia, está cada dia mais difícil um vigarista sair na rua e andar em paz. Nós acabamos com o fetiche do corrupto rico que circula na sociedade como se fosse uma pessoa de bem. Claro que qualquer coisa que enfraqueça esse processo histórico eu acharei ruim, mas acho que a história seguirá seu curso independentemente de A ou B”, afirmou.

Moro está dando uma coletiva de imprensa nesta manhã para anunciar seu desligamento da pasta após o presidente Jair Bolsonaro demitir, sem consultá-lo, o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo.

Jornal Midiamax