Brasil

Mesa da Câmara decide enviar processo contra Flordelis à Corregedoria

Após reunião para discutir o futuro da deputada Flordelis (PSD-RJ), a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados decidiu, nesta terça-feira (1º), encaminhar o pedido de representação por quebra de decoro parlamentar à Corregedoria da Casa. A deputada será notificada em até cinco dias e terá até dez dias, após o recebimento, para apresentar defesa por […]

Matheus Maderal Publicado em 01/09/2020, às 11h53

Deputada federal Flordelis. (Foto: Reprodução/ Fernando Frazão/ Agência Brasil)
Deputada federal Flordelis. (Foto: Reprodução/ Fernando Frazão/ Agência Brasil) - Deputada federal Flordelis. (Foto: Reprodução/ Fernando Frazão/ Agência Brasil)

Após reunião para discutir o futuro da deputada Flordelis (PSD-RJ), a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados decidiu, nesta terça-feira (1º), encaminhar o pedido de representação por quebra de decoro parlamentar à Corregedoria da Casa.

A deputada será notificada em até cinco dias e terá até dez dias, após o recebimento, para apresentar defesa por escrito. A partir daí, a Corregedoria terá até 45 dias úteis para analisar o processo. Ela é apontada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) como mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho do ano passado. De acordo com a denúncia, filhos do casal e uma neta também participaram do crime.

A Câmara não recebeu até agora a documentação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e o Conselho de Ética não tem realizado reuniões durante a pandemia da Covid-19. Mas há a pressão de parlamentares para que se dê celeridade ao caso.

Flordelis foi acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019. Ela foi alvo de busca e apreensão na última semana, mas, na ocasião, o MPRJ não solicitou à Justiça a prisão da deputada, que tem foro privilegiado. Flordelis, no entanto, alega inocência.

Jornal Midiamax