Brasil

‘Mês jogado no lixo’, diz Mandetta sobre demissão de Teich

A rápida passagem de Nelson Teich no comando do Ministério da Saúde foi comentada por Luiz Henrique Mandetta em uma breve entrevista ao O Estado de São Paulo. Segundo o ex-ministro, a sua saída é considerada como prejudicial no combate ao novo coronavírus no país. “A única coisa que sei é que foi um mês […]

Vinícius Costa Publicado em 15/05/2020, às 16h12

(Foto: Evaristo Sa/AFP)
(Foto: Evaristo Sa/AFP) - (Foto: Evaristo Sa/AFP)

A rápida passagem de Nelson Teich no comando do Ministério da Saúde foi comentada por Luiz Henrique Mandetta em uma breve entrevista ao O Estado de São Paulo. Segundo o ex-ministro, a sua saída é considerada como prejudicial no combate ao novo coronavírus no país. “A única coisa que sei é que foi um mês perdido, jogado na lata do lixo”.

Em seu pronunciamento, Teich não disse o principal motivo que levou a sua demissão, mas tudo indica que os conflitos com Jair Bolsonaro, principalmente sobre o uso da cloroquina foram determinantes para o pedido.

Mais cedo em seu Twitter, Mandetta havia postado a seguinte frase: “Oremos. Força SUS. Ciência. Paciência. Fé!”. Na entrevista, o ex-ministro afirmou que não é possível fazer um prognóstico de como o país irá combater a doença, que na última atualização, matou mais de 14 mil pessoas.

“Não dá para falar nada. Não sei quem vai ser o novo ministro. O momento é de oração. Gostaria de dizer para você que estou rezando um terço agora”, afirmou.

Luiz Henrique Mandetta foi destituído do cargo de ministro da Saúde no dia 16 de abril, após entrar em vários conflitos com Jair Bolsonaro sobre como gerir a pandemia do novo coronavírus no país. Uma das atitudes contrárias do médico era defender o isolamento social, e não o isolamento vertical, ideia defendida pelo presidente.

Jornal Midiamax