Brasil

Bolsonaro: O médico não abandona o paciente, mas o paciente troca de médico

O presidente Jair Bolsonaro usou da analogia do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para sinalizar que ainda estuda a permanência do auxiliar à frente da pasta, após os atritos que ambos tiveram sobre as orientações para isolamento social. “O médico não abandona o paciente, mas o paciente pode trocar de médico”, disse Bolsonaro. No […]

Diego Alves Publicado em 09/04/2020, às 19h52 - Atualizado em 10/04/2020, às 11h38

Jair Bolsonaro e Luiz Henrique Mandetta, durante entrevista coletiva | Foto: Adriano Machado | Reuters | Reprodução
Jair Bolsonaro e Luiz Henrique Mandetta, durante entrevista coletiva | Foto: Adriano Machado | Reuters | Reprodução - Jair Bolsonaro e Luiz Henrique Mandetta, durante entrevista coletiva | Foto: Adriano Machado | Reuters | Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro usou da analogia do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para sinalizar que ainda estuda a permanência do auxiliar à frente da pasta, após os atritos que ambos tiveram sobre as orientações para isolamento social. “O médico não abandona o paciente, mas o paciente pode trocar de médico”, disse Bolsonaro.

No início da semana, Mandetta havia respondido, sobre a possibilidade dele próprio pedir para deixar o cargo, que “o médico não abandona o paciente”.

Nesta tarde vieram à tona conversas entre o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o antigo ocupante do cargo, o atual deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), conspirando pela saída de Mandetta. Bolsonaro, em transmissão ao vivo pela internet, havia dito que “quem está esperando eu falar do Mandetta, do Onyx e do Osmar pode pular para outra live. Não vai ter esse assunto aqui”

Jornal Midiamax