Brasil

Administração diz que caso de racismo foi trote de pessoa que não mora no condomínio

Após episódio de racismo envolvendo entregador de uma hamburgueria de Goiânia (GO), a administração do condomínio, para onde foi feito o pedido, afirmou que foi um ‘trote racista’ e que a autora do crime, não mora no prédio. O caso aconteceu na última segunda-feira (26) e ganhou repercussão após as mensagens serem divulgadas nas redes sociais. […]

Dayene Paz Publicado em 28/10/2020, às 11h36 - Atualizado às 11h40

A conversa foi publicada pela gerente do local - Imagem: Reprodução/Instagram
A conversa foi publicada pela gerente do local - Imagem: Reprodução/Instagram - A conversa foi publicada pela gerente do local - Imagem: Reprodução/Instagram

Após episódio de racismo envolvendo entregador de uma hamburgueria de Goiânia (GO), a administração do condomínio, para onde foi feito o pedido, afirmou que foi um ‘trote racista’ e que a autora do crime, não mora no prédio. O caso aconteceu na última segunda-feira (26) e ganhou repercussão após as mensagens serem divulgadas nas redes sociais. “Mandar outro entregador que seja branco”, teria enviado a cliente ao restaurante.

Os proprietários do estabelecimento e o entregador, vítima de racismo, registraram o crime na delegacia. Após o episódio, a hamburgueria recebeu centenas de mensagens de seguidores, em apoio ao entregador e contra o crime praticado pela cliente. A empresa Ifood também informou que baniu a usuária autora do crime. “O Ifood reitera que repudia qualquer ato de discriminação racial e preza pelo respeito à diversidade em todas as ações que realiza”.

A conversa aconteceu no chat deum aplicativo de comida entre a cliente e a gerentedo estabelecimento, que é também irmã do proprietário. A jovem se choca quando a mulher manda a primeira mensagem: “Esse preto não vai entrar no meu condomínio”. Não entendendo, ou demonstrando indignação, ela responde “Oi?????”. A cliente então digita “mandar outro entregador que seja branco”. A gerente responde “Não”. Em seguida, a mulher volta ao racismo dizendo “eu não vou permitir esse macaco”.

Compreendendo a situação e o desenrolar da conversa, a jovem imediatamente finaliza que o estabelecimento não tolera racismo. Após o ocorrido, a hamburgueria publicou as mensagens em seu perfil do Instagram. “Não toleramos nenhum tipo de preconceito. Iremos à polícia e esperamos que medidas cabíveis sejam tomadas”, diz a postagem.

A gerente ainda relatou que ficou assustada com a situação. “No começo, durante uns 15 segundos, pensei que era mentira ou algum tipo de teste com o restaurante”, afirma.

Jornal Midiamax