Brasil

Roger Waters é vaiado após chamar Bolsonaro de neofascista durante show

Durante a turnê US and Them, no Allianz Parque, em São Paulo, nesta terça-feira (9), Roger Waters, um dos fundadores da banda Pink Floyd, foi vaiado e aplaudido pelo público de 45,5 mil pessoas. O motivo foi seu posicionamento político com relação ao momento que o Brasil vive. Roger divulgou no telão de projeção do show a tag […]

Egina Becker Publicado em 10/10/2018, às 16h04 - Atualizado às 18h24

None

Durante a turnê US and Them, no Allianz Parque, em São Paulo, nesta terça-feira (9), Roger Waters, um dos fundadores da banda Pink Floyd, foi vaiado e aplaudido pelo público de 45,5 mil pessoas.

O motivo foi seu posicionamento político com relação ao momento que o Brasil vive. Roger divulgou no telão de projeção do show a tag #EleNão e classificou Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência, como neofascista.

Além do #EleNão projetado no telão, o cantor projetou fotografias de Bolsonaro ao lado de personalidades que classificou como fascistas. Algumas das pessoas mencionadas foram Donald Trump e Vladimir Putin.

Após ser vaiado por boa parte do público, o músico demonstrou-se surpreso com as reações. Confere aí:

Declarações anteriores

Em dezembro do ano passado, durante entrevista ao Correio Braziliense, Roger explicou que seu show, além de apresentar músicas e encantar fãs, serviria para alertas o público de que governantes pouco capacitados estão no poder.

“É por isso que as pessoas querem sair por aí e se embebedar. Querem esquecer disso, e não ficar nem aí para a política, ficar nem aí para os direitos humanos”, disse o músico ao Correio.

Jornal Midiamax