Brasil

Primeiros nomes indicados para equipe de transição de Bolsonaro saem na quarta

Os primeiros nomes que comporão a equipe de transição do novo governo, de Jair Bolsonaro (PSL), será apresentado nesta quarta-feira (31). Os nomes serão entregues pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, ao deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS). Durante entrevista coletiva dada nesta segunda-feira (29), Padilha comentou sobre a conversa com o deputado Lorenzoni após […]

Egina Becker Publicado em 30/10/2018, às 06h16

(Foto: José Cruz/Agência Brasil)
(Foto: José Cruz/Agência Brasil) - (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Os primeiros nomes que comporão a equipe de transição do novo governo, de Jair Bolsonaro (PSL), será apresentado nesta quarta-feira (31). Os nomes serão entregues pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, ao deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

Durante entrevista coletiva dada nesta segunda-feira (29), Padilha comentou sobre a conversa com o deputado Lorenzoni após a divulgação do resultado das eleições. “Me dizia ele que na quarta-feira a intenção é vir com os primeiros nomes para composição da equipe de transição. Esta equipe terá até 50 pessoas”, informou o ministro.

Essas 50 pessoas serão nomeadas para Cargos Especiais de Transição Governamental que ficarão vagos até o início do mês da posse, em janeiro de 2019.

Jair Bolsonaro apontou o nome de Onyx Lonrezoni como o próximo a assumir a Casa Civil. Além disso, é provável que o deputado seja coordenador da equipe de transição do novo governo, cargo de maior salário na equipe, Entretanto, caso Lorenzoni seja indicado, não poderá receber a remuneração,  já que recebe como deputado federal.

No mais, os salários do restante da equipe variam entre R$ 2.500 a R$ 16.500. Os integrantes receberão, ainda, celulares com acesso ao sistema ‘Governa’, onde ficam os dados referentes aos trabalhos do atual governo.

Na coletiva, Padilha lembrou que o atual presidente, Michel Temer (MDB), garantiu uma transição tranquila. “A intenção do presidente Michel Temer é fazermos uma transição com a maior transparência possível, ofertando todas as informações que estejam disponíveis no governo e sejam solicitadas, para que tenhamos, desde logo, o Brasil andando”, explicou.

Jornal Midiamax