O Ministério Público e a Polícia Civil cumprem na manhã desta sexta-feira (14) mandado de busca e apreensão na casa do vereador Marcello Siciliano (PHS), no Rio de Janeiro. O mandado é relacionado às investigações do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes.

No local, foram apreendidos documentos, um tablet, um computador e uma HD. Além das apreensões na casa do vereador, foram feitas buscas no gabinete de Marcello Siciliano, lá foram apreendidos computadores. A polícia precisou arrombar a porta do gabinete, já que o vereador não foi trabalhar nesta manhã.

De acordo com o portal G1, Siciliano compareceu à polícia e disse estar indignado com a situação.

“Continuo indignado com essa acusação maligna que fizeram a meu respeito. Estou aqui me colocando à disposição da Justiça para o que for preciso. Tenho certeza que no final disso tudo vão ver que foi uma baita covardia que tentaram fazer comigo. Quero que isso se resolva, minha família está sofrendo, tenho certeza que a família da Marielle não merece isso, merece a verdade. A verdade que tem que vir à tona”, afirmou o vereador.

Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, Richard Nunes, afirmou que Marielle Franco foi assassinada por milicianos. A linha de investigação acreditava que a morte tem relação com a grilagem de terras na Zona Oeste do Rio.