Taxa de rejeição aumenta entre servidores públicos

Uma pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta segunda-feira (1) apontou que sete entre cada dez brasileiros discordam da reforma da previdência. A porcentagem chega a 83% de rejeição entre servidores públicos, os mais ameaçados pelas mudanças de regras de aposentadorias e pensões.

Entre todos os grupos ouvidos pelo instituto, a maioria absoluta se opôs à reforma. A taxa de rejeição atinge 73% entre as mulheres, 76% entre jovens de 25 a 34 anos e 76% entre pessoas com ensino superior.

Questionados também sobre se deveriam haver regras diferentes entre servidores e trabalhadores privados, a maioria também assume que prefere que as regras sejam as mesmas, porém dependendo da classe o número de pessoas que concordam com regras diferentes varia.

Entre os entrevistados, 58% concordam que militares deveriam ser submetidos às mesmas regras da previdência que civis. Para policiais, essa taxa é de 55%, e para professores, 54%.

No caso de trabalhadores rurais, 52% dos brasileiros querem que eles continuem se aposentando mais cedo. A aposentadoria rural diferenciada foi mantida no relatório de Arthur Maia.

Em relação a pontos específicos da reforma, 83% dos entrevistados são contra o tempo mínimo de 40 anos de contibuição para receber aposentadoria integral. Outros 27% se opõe à idade mínima de 65 anos para aposentadoria dos homens e 25% de aposentadoria para mulheres.

(com supervisão de Evelin Cáceres)