Entre eles está o chefe do tráfico no Morro do Barão

A Polícia Civil do Rio de Janeiro já considera seis homens acusados de envolvimento no estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos como foragidos da Justiça. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, as autoridades procuram os acusados e ainda não sabem quem participou do ato em si e quem o divulgou na internet.

Os foragidos são Sérgio Luiz da Silva Júnior, conhecido como Da Russa e suspeito de chefe do tráfico no Morro do Barão; Marcelo Miranda da Cruz Correa; Raphael Assis Duarte Belo; Michel Brasil da Silva; Lucas Perdomo Duarte Santos; e Raí de Souza. O Disque Denúncia oferece R$ 1 mil para quem passar informações sobre o paradeiro de Da Russa. Lucas Santos tinha um relacionamento com a garota.

Ainda segundo o Estadão, agentes da Polícia Civil estiveram em favelas e bairros da região em que ocorreu o crime, na manhã desta segunda-feira (30), mas não teve sucesso nas buscas. A ação teve coordenação da delegada Cristiana Onorato, da DCAV (Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima), que cuida do caso após o afastamento de Alessandro Thiers.

Transferência do caso

Thiers foi afastado depois de pedidos por parte da defesa da adolescente e do MP (Ministério Público) do Rio. Eles o acusaram de parcialidade, além de misoginia e machismo, na lida com o caso. Em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, a jovem disse que Thiers fez com que ela se sentisse mal. “Tentaram me incriminar, como se eu tivesse culpa por ser estuprada”.

A advogada que defendia a vítima, Eloísa Samy Santiago, foi dispensada pela própria família da adolescente, devido à transferência do caso para a DCAV, ligada à Secretaria de Direitos Humanos fluminense. Ela divulgou a informação em seu perfil na rede social Facebook.