Alunos se recusam a deixar o local

A Polícia Militar de São Paulo entrou no Centro Paula Souza, na região da Luz, centro da capital paulista, na manhã desta segunda-feira (02) e está negociando a saída dos estudantes que ocupam o local. Os manifestantes estão no centro desde a última quinta-feira (28).

Estudantes das escolas da rede estadual de ensino e das Etecs (Escolas Técnicas) ocuparam o Centro Paula Souza, autarquia que administra mais de 300 instituições de ensino ligadas ao governo estadual de São Paulo, em protesto contra os esquemas de desvio de verba da merenda escolar, e contra cortes nos repasses da gestão Alckmin para a educação.

De acordo com os manifestantes, a ocupação deve continuar e a polícia entrou de forma ilegal no local. Segundo a PM, a ocupação pode continuar, e sua presença é para garantir a entrada e saída de funcionários do prédio. Os estudantes entoam palavras de ordem como “prisão para quem roubou merenda”.

O secretário de Segurança Pública do estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, esteve na instituição junto à diretora do centro, Laura Laganá, durante a manhã. Eles conversaram com a PM em um galpão ao lado do Centro Paula Souza. A Justiça havia determinado reintegração de posse, mas os estudantes se recusaram a deixar o local.