Câmara de Campinas aprovou nota em repúdio ao parlamentar

A Câmara Municipal de Campinas (SP) decretou, na última segunda-feira (16) que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) passa a ser persona non grata na cidade, que foi o local de nascimento do deputado. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, Bolsonaro nasceu e estudou parte da vida em Campinas , mas fez a carreira política no Rio.

O parlamentar havia dado uma entrevista ao jornal campineiro Correio Popular, na qual chamou os vereadores da cidade de ‘otários’ e ‘desocupados’. Na ocasião, ele se referia a uma moção de protesto aprovada pela Câmara. Ela foi feita pelo vereador Pedro Tourinho (PT), em repúdio às declarações de Bolsonaro na votação do processo de impeachment na Câmara, onde ele elogiou o torturador Carlos Brilhante Ustra.

“Essa Câmara Municipal de vocês aí é fraca. Estou me lixando para os vereadores que aprovaram isso. Eles não têm o que fazer, são uns desocupados. Esses vereadores são uns otários”, declarou o parlamentar do PSC ao periódico da cidade.

Em resposta às declarações feitas na entrevista, a Câmara divulgou uma nova nota, onde diz que “diante de tamanha ofensa aos trabalhos desta Nobre Casa Legislativa, discordamos da clara tentativa de desqualificar o Poder Legislativo municipal e entendemos que o parlamentar passa a ser persona non grata em Campinas”.

(Sob supervisão de Daiane Libero)