Brasil

No Maranhão, prematuros são transferidos de hospital em sacos de lixo

Fotos dos bebês enrolados nos plásticos rodaram as redes sociais nesta semana

Gerciane Alves Publicado em 08/07/2015, às 16h49

None
bebe-em-saco.jpg

Fotos dos bebês enrolados nos plásticos rodaram as redes sociais nesta semana

Os gêmeos Artur e André nasceram prematuros em um hospital municipal de Santa Inês, interior do Maranhão. Como o espaço não tinha equipamento de oxigênio nem incubadoras neonatal, os dois precisaram ser transferidos para outro hospital em São Luís.

O problema é que no local também não havia mantas térmicas. A solução dos médicos foi enrolar os bebês em sacos de lixo para fazê-los aguentar seis horas de viagem.

Fotos dos bebês enrolados nos plásticos rodaram as redes sociais nesta semana. “É um absurdo muito grande. É um protesto que a gente está fazendo para poder ver se isso não acontece com um desfecho ruim, na morte de filhos e mães que com certeza vão chegar a isso”, afirmou o tio dos meninos, Oswaldo Júnior.

Jornal Midiamax