Brasil

Mesmo com suspensão, mais haitianos devem chegar a SP

Ônibus já estavam a caminho vindos do Acre

Gerciane Alves Publicado em 21/05/2015, às 12h10

None
haitianos.jpg

Ônibus já estavam a caminho vindos do Acre

Para ajudar, haitianos que estão há mais tempo do Brasil passam algumas horas na Missão Paz. É o caso do jornalista Musset Pasteur, 26 anos, no País há um ano. “Venho para ajudá-los a se comunicarem. Vou até a Barra Funda (estação rodoviária onde chegam os ônibus) para ajudar e, às vezes, dar um bilhete do metrô”, explicou.

Embora seja formado em Jornalismo, Pasteur trabalha como operador de loja, fazendo a reposição de produtos. “Não tenho problemas de não trabalhar na minha área”, esclareceu. Acrescentou que há muitas pessoas qualificadas no Haiti, com formação universitária, mas que não há emprego para todos.

Na área externa da igreja, muitos haitianos aguardam as atividades organizadas pela Missão Paz. Hoje (20) à tarde, eles participaram de uma palestra de preparação para conseguir trabalho no Brasil. “São temas como o funcionamento da folha de pagamento, direitos trabalhistas e, em caso de necessidade, denúncias”, destacou Parise. Amanhã (20), eventuais empregadores também receberão orientações e à tarde poderão entrevistar os haitianos.

Jornal Midiamax