A enviou uma grande frota de caças e navios de guerra para os arredores de ao longo deste mês. Mas, ao contrário de exercícios anteriores de porte semelhante, acompanhados de propaganda na tentativa de intimidar a ilha autônoma, Pequim fez pouco alarde desta vez.

Para autoridades taiwaneses e especialistas em defesa, o silêncio indica que o exército chinês está tentando aprimorar sua capacidade de cercar Taiwan, neutralizar suas vantagens naturais e impedir que os ajudem a ilha em caso de invasão.

Nesta semana, o exército de Taiwan detectou 103 aeronaves militares chinesas em áreas ao redor da ilha, número considerado alto.

No início do mês, um porta-aviões chinês e cerca de duas dezenas de navios de guerra, frota de tamanho pouco habitual, navegaram a sudeste da ilha no Pacífico Ocidental.

“Certamente estudaremos as prováveis ações do exército chinês e planejaremos medidas de resposta adequadas”, disse o major-general Sun Li-fang, porta-voz do Ministério da Defesa de Taiwan. “Quanto mais próximas as aeronaves do exército chinês estiverem de Taiwan, mais fortes serão nossas contramedidas.”

Saiba Mais