Sem Categoria

‘Operação Covid-19’, do Exército, deportou 5 por dia desde março e já apreendeu 80 kg de drogas

Ação na fronteira entre Brasil e Bolívia deportou 740 estrangeiros e apreendeu dólares, drogas e 8 toneladas de mercadorias desde março.

Humberto Marques Publicado em 08/08/2020, às 17h22

Operação é realizada desde março pelo Exército. (Foto: Divulgação)
Operação é realizada desde março pelo Exército. (Foto: Divulgação) - Operação é realizada desde março pelo Exército. (Foto: Divulgação)

Parcial da Operação Covid-19, realizada pelo Exército brasileiro na região de fronteira entre Corumbá –a 419 km de Campo Grande– e as cidades de Puerto Suárez e Puerto Quijarro, na Bolívia, já resultou na apreensão de 80,8 kg de drogas e na deportação de 740 estrangeiros –média de 5 por dia ao longo de 135 dias da ação.

A operação, conforme lembrou o Diário Corumbaense, teve início em 22 de março, com os números divulgados sendo referentes ao período até 4 de agosto. O objetivo do Exército é reforçar o controla na faixa de fronteira entre Brasil e Paraguai, em meio ao fechamento da circulação com a pandemia de coronavírus –apenas o transporte de carga foi liberado como forma de evitar o desabastecimento.

Dentre os estrangeiros abordados, 387 são bolivianos, 3 são do Peru e 350 não tinham documentos. Eles tentavam entrar no Brasil por trilhas clandestinas. A ação acaba por impedir crimes transfronteiriços, como o tráfico de drogas, de armas e de pessoas, com pontos de bloqueio e controle nas estradas vicinais (as “cabriteiras” na zona rural de Corumbá).

Além das deportações, três pessoas foram presas por tráfico de drogas e um menor apreendido, sendo apreendidos 60,8 kg de cocaína e 20 kg de maconha. Ainda foram aprendidos R$ 57.294 e US$ 180.250, bem como 8 toneladas de mercadorias, avaliadas em R$ 142 mil.

Três pessoas foram detidas por evasão de divisas, duas por associação criminosa e receptação ilegal de veículo; duas por tentativa de suborno; duas por desacato, desobediência e lesão leve; e uma por homicídio. O total de multas aplicado chegou a R$ 10 mil.

Jornal Midiamax