Projeto da OAB-MS desobriga autenticação de documentos para órgãos estaduais

Ideia é desburocratizar atendimentos
| 03/05/2018
- 16:46
Projeto da OAB-MS desobriga autenticação de documentos para órgãos estaduais

Um projeto idealizado pela OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso do Sul) e apresentado pelo deputado Enelvo Felini (PSDB) que desobriga a autenticação de documentos em órgãos estaduais foi aprovado em primeira votação na Assembleis Legislativa de Mato Grosso do Sul nesta quinta-feira (03).

A ideia é conceder poderes aos advogados constituídos para procederem a autenticação de cópias de documentos em autos de procedimentos administrativos em que atuarem perante os órgãos estaduais. Pessoas que também precisarem usar o serviço poderão somente apresentar o documento original, sem precisar pagar a taxa de autenticação ao cartório, caso a lei seja aprovada em segunda votação e sancionada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

“Isso faz com que todo o serviço público estadual seja desburocratizado e desonera o contribuinte da autenticação quando o documento for para fazer um requerimento, por exemplo, a algum órgão estadual. A proposta valoriza o trabalho do advogado, que já faz esse tipo de representação perante a Justiça estadual, e tem cunho social, porque beneficia o cidadão”, explicou o presidente da Ordem, Mansour Elias Karmouche.

A sessão foi suspensa para a explicação do projeto pelo presidente da Ordem e, após o retorno, a ideia foi aprovada por 19 votos a favor e nenhum contrário.

Também foram aprovados em segunda discussão o Projeto de Lei 203/2017, de autoria do deputado Felipe Orro (PSDB), que altera e acrescenta dispositivos à Lei 4.132, de 5 de dezembro de 2011, a qual dispõe sobre a afixação de placas informativas em brinquedos e atrações existentes em parques de diversões no Estado de Mato Grosso do Sul e o PL 8/2018, de autoria do deputado Barbosinha (DEM), que dispõe sobre correção monetária dos valores das modalidades licitatórias em todo o Estado. A matéria recebeu pareceres favoráveis das Comissões de Serviço Público, Obras, Transporte, Infraestrutura e Administração e de Finanças e Orçamento.

Em primeira discussão, foi aprovado o PL 165/2017, de autoria do deputado Maurício Picarelli (PSDB), que estabelece medidas protetivas e procedimentos para os casos de violência contra os servidores do quadro da Secretaria de Estado de Educação lotados nas escolas públicas estaduais. E o PL 267/2017 , do deputado Renato Câmara (PMDB), que dispõe sobre a validade e procedimentos pertinentes à emissão de notas fiscais por pescadores profissionais em Mato Grosso do Sul.

Veja também

Representantes das Forças Armadas já discutem como realizar uma contagem paralela de votos nas eleições...

Últimas notícias