Sem Categoria

Escola muda horário de aluna e mãe reclama da situação em Campo Grande

Segundo a Semed, é comum ter mudança de horário para alunos que ficam de exame

Midiamax Publicado em 05/01/2015, às 20h18

None
imagem_de_destaque.jpg

Segundo a Semed, é comum ter mudança de horário para alunos que ficam de exame

Uma leitora que não quis se identificar, por medo de represálias, relatou nesta segunda-feira (5) que foi fazer a matrícula da filha na Escola Municipal Arlindo Lima, em Campo Grande, e no ato da matrícula foi informada que haveria uma mudança no horário da menina.

De acordo com a leitora, a filha estuda na escola há cinco anos e ficou de exame, por isso foi fazer a matrícula da menina hoje e ao chegar ao local nenhum funcionário da escola soube informar o porquê da mudança de horário da aluna, que estudava no período matutino e foi transferida para o período vespertino.

A leitora alega ainda que apenas ela, que é responsável pela filha, tem o direito de fazer a mudança de horário. A mãe informou que tentou falar com o diretor da escola e com a secretária chefe, mas que eles também não souberam informar o motivo da mudança.

Semed

A Semed (Secreta ria Municipal de Educação) informou por meio de nota que é comum ter mudança de horário para os alunos que ficam de exame. Segundo a assessoria de imprensa da secretaria, quando o aluno fica de exame ele garante apenas a vaga na escola e não a vaga no turno em que estudava.

Os alunos que não ficam de exame fazem a matrícula antes e por isso, em alguns casos, o turno escolhido pelo aluno que ficou de exame já pode estar lotado.  Ainda segundo a Semed, os pais são avisados sobre a possibilidade de mudança durante o ano letivo nas reuniões, por meio de bilhete e também há uma resolução fixada no mural da escola.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Jornal Midiamax

O leitor enviou as informações ao WhatsApp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Jornal Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total anonimato garantido pela lei.

Confira na íntegra a nota da Semed

Essa é uma prática da escola que já acontece há 10 anos, com a anuência do Conselho Escolar e da Associação de Pais e Mestres. Os alunos de exame garante sua vaga, mas no turno que tiver vagas disponíveis, uma vez que, no caso desses alunos, só é possível fazer a matrícula em janeiro.

Os pais já estavam cientes dessa prática, uma vez que isso foi avisado em todas as reuniões, além de terem recebido bilhetes e essa resolução estar afixada no mural da escola.

Jornal Midiamax