Sem Categoria

Garota leva garrafada ao negar beijo em boate do RS: ‘Muito medo’

Jovem de 22 anos foi submetida a exames de tomografia nesta terça.

Clayton Neves Publicado em 30/12/2014, às 19h37

None
agredida_edit.jpg

Jovem de 22 anos foi submetida a exames de tomografia nesta terça.

Ferida na cabeça com uma garrafa de tequila após negar um beijo a um homem em uma casa noturna, uma jovem de 19 anos de foi submetida a um exame de tomografia, nesta terça-feira (30), no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. Ainda com sintomas de tontura, Fabiane Bessa detalhou que a agressão ocorreu por volta de 6h da manhã de domingo (28), em uma casa noturna de Xangri-Lá, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul.

Segundo ela, antes de feri-la, o suspeito da agressão estava em outra festa realizada no apartamento de um amigo em comum, no mesmo município. Horas depois, quando Fabiane e outros jovens dançavam no camarote da boate Privilége, ele a atacou, depois de tentar beijá-la duas vezes.

“Chorei bastante ao entender o que havia acontecido. Fiquei com muito medo”, disse ela ao G1, enquanto era atendida por uma equipe médica do HPS na tarde desta terça.

Com um corte profundo na cabeça, Fabiane foi levada ao Hospital Santa Luzia, em Capão da Canoa, também no Litoral Norte, onde recebeu alta ainda no domingo. “Eu desmaiei na hora. Não consegui ver ele jogando a garrafa, mas minha amigas são testemunhas. Só lembro de acordar com bombeiros me socorrendo”, disse ela.

Ainda de acordo com a jovem, o homem, identificado na ocorrência como André Granville, arremessou o objeto depois de um amigo tentar convencê-lo de parar de importuná-la.

“Ele me puxou duas vezes quando eu estava no camarote [do bar Privilège] e empurrei ele. Esse amigo queria tirar ele dali quando le jogou a garrafa”, contou. 

Com apoio de outra garota que estava na festa, uma ocorrência sobre a agressão foi registrada por PMs na Delegacia de Capão da Canoa. A Polícia Civil, porém, ainda não confirma se Granville é investigado. No documento policial, consta que um laudo comprovou o ferimento na cabeça com uma garrafa de vidro. A ocorrência trata o caso como uma “lesão corporal”.

O G1 tentou localizar Granville, mas ainda não obteve contato. Como o fato não ocorreu em Capão da Canoa, onde ocorreu o registro, o caso ainda terá de ser repassado à Delegacia de Xangri-lá, que deverá interrogar os envolvidos. Também procurada, a casa noturna ainda não se manifestou sobre o fato.

Jornal Midiamax