Publieditorial

Confira o período de inscrições para o Prouni 2019

O edital do Programa Universidade para Todos (Prouni) foi divulgado no Diário Oficial da União e os estudantes já podem marcar no calendário o período de inscrições. O procedimento deve acontecer entre 29 de janeiro e às 23h59 (Horário de Brasília) de 1º de fevereiro. A quantidade de vagas do Prouni não foi informada, mas […]

Éser Cáceres Publicado em 11/12/2018, às 16h56

None

O edital do Programa Universidade para Todos (Prouni) foi divulgado no Diário Oficial da União e os estudantes já podem marcar no calendário o período de inscrições. O procedimento deve acontecer entre 29 de janeiro e às 23h59 (Horário de Brasília) de 1º de fevereiro. A quantidade de vagas do Prouni não foi informada, mas são disponibilizadas bolsas de estudo caráter integral ou parcial, com descontos de 100% e 50%, respectivamente. Candidatos portadores de diploma de graduação não estão habilitados a participar do processo.

São definidos alguns requisitos para a participação: realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2018), com nota média mínima de 450 pontos e pontuação acima de zero na redação. É preciso também ter o ensino médio completo em escola da rede pública ou em instituição privada (desde que tenha sido bolsista integral); e renda per capita familiar mensal máxima de três salários mínimos.

Alternativas ao Prouni

“Quando terminei o ensino médio, só conhecia o ProUni pelo nome. Pesquisei mais sobre ele, mas o valor do curso estava mais acessível para mim pelo Educa Mais”, comenta Mateus Gabriel Silva Ribeiro, estudante de Gestão de Recursos Humanos – uma graduação que integra a educação profissional e está entre os Cursos Superiores de Tecnologia.

Katiane Cleidaci Felix está matriculada no curso de Administração e conta que também considerou a possibilidade de estudar pelo Prouni. “Não alcancei a nota necessária para a bolsa de 100%. Havia muita disputa e a quantidade de vagas disponíveis para as bolsas integrais é menor”, relembra. Embora já seja formada em Gestão de RH, a estudante buscou outras possibilidades até encontrar o Educa Mais Brasil. “A minha bolsa de estudo é de quase 60%. Faz a diferença para quem está no ensino superior e precisa realizar o planejamento financeiro ou pensar no orçamento familiar”, destaca.

A contratação da bolsa de estudo é realizada na página do Educa. É preciso inserir os filtros relativos ao nível de ensino, à localidade e ao curso desejado. O percentual da bolsa também é informado no site.  Não há a exigência de comprovação de renda por pessoa ou familiar e, por aplicar descontos mensais, não existem dívidas ao término da graduação caso o estudante tenha quitado todas as taxas e mensalidades ao longo do curso.

Agência Educa Mais Brasil

Jornal Midiamax