Política / Transparência

Com Ômicron rondando e Influenza causando mortes, prefeitura prorroga estado de calamidade em Campo Grande

Decreto passa a valer a partir deste sábado no município

Fábio Oruê Publicado em 01/01/2022, às 19h21

None
Foto: Divulgação

Prefeitura de Campo Grande prorrogou o prazo do estado de calamidade pública por conta da pandemia da Covid-19 na Capital para o próximo dia 31 de março de 2022, em razão da variante Ômicron e dos casos de mortes pela nova cepa da Influenza (H3N2). 

O decreto considera a classificação da OMS (Organização Mundial de Saúde) referente a nova variante do coronavírus. Não há casos confirmados em Mato Grosso do Sul, mas estados como São Paulo, Rio Grande do Sul, Goiás e Minas Gerais já tem confirmações. 

O documento também leva em conta o vírus da influenza. Até a manhã de sexta-feira (31), a Capital tinha 42 casos da doença, mas um novo boletim, divulgado na tarde de ontem mostra que o número saltou para 74.

Campo Grande registra uma morte causada pela cepa. O óbito registrado na cidade foi de um jovem, de 21 anos, que deu entrada no CRS Nova Bahia no dia 20 de dezembro e faleceu no dia 21 de dezembro. O paciente morava em Capital e não apresentava histórico de comorbidades. Além do rapaz, outras duas pessoas já morreram no Estado devido a cepa.

A prorrogação será submetida à deliberação da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul), mas os efeitos começam a contar a partir deste sábado (1º). O decreto é assinado pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD).

Jornal Midiamax