Política / Transparência

Ex-vereador suspeito de usar verba para abastecer com diesel em carro a gasolina diz que foi 'erro de digitação'

MPMS abriu investigação para apurar eventuais irregularidades

Renan Nucci Publicado em 25/11/2021, às 11h10

André Salineiro, ex-vereador de Campo Grande
André Salineiro, ex-vereador de Campo Grande - Arquivo

O MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) investiga eventual irregularidade na prestação de contas do ex-vereador André Salineiro, de Campo Grande, no que diz respeito ao uso de verbas indenizatórias para abastecimentos de veículos. As informações são de que carros flex estavam sendo abastecidos a diesel. Salineiro afirma que tudo não passa de um mal-entendido por erro de digitação.

No Diário Oficial do MPMS desta quinta-feira (05), foi publicado pelo promotor Humberto Lapa Ferri, da 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, a instauração de procedimento preparatório para apurar supostas ilegalidades e divergências encaminhadas por meio de notícia de fato à ouvidoria. 

Consta na denúncia que informações prestadas pelo ex-parlamentar são inverídicas. Conforme documentos extraídos do Portal da Transparência da Câmara Municipal, há notas fiscais com placas de veículos abastecidos, mas um detalhe que chama a atenção é o fato de que um dos veículos recebeu diesel e gasolina aditivada. No entanto, consta na notícia de fato tratar-se de um veículo flex, que funciona apenas com gasolina ou álcool.

Da mesma forma, há um Onix, também flex, abastecido com diesel da mesma forma, com diesel. O denunciante sinalizou tais divergências por acreditar que os abastecimentos poderiam estar sendo usados em benefícios de terceiros, ou até mesmo em desvios. Por este motivo, o MPMS abriu investigações e solicitou mais informações para esclarecimentos dos fatos.

O que diz Salineiro

Ao Midiamax, o ex-vereador garantiu que os fatos apresentados tratam-se apenas de erro material, ou seja, mero erro de lançamento que pode ser observado por meio do empenho de janeiro de 2020, no qual segundo ele, permaneceu o produto ‘gasolina comum’.

“Se observar as notas anexadas, consta uma quantidade de 45,80 litros de gasolina comum e 168,108 litros de óleo diesel, totalizando, portanto, um valor de R$ 852,82. No entanto, minha solicitação de reembolso foi de apenas 133,68 litros de óleo diesel, totalizando o valor de R$ 521,25, referente ao abastecimento do veículo placa QAK 0003 (Diesel)”, afirmou.

“Dessa feita, não há qualquer irregularidade. Tudo foi realizado dentro das normas legais, o que será totalmente esclarecido em momento oportuno. Ressalto que o mandato sempre foi pautado pela transparência e zelo com os recursos públicos”, concluiu.

Policial Federal, André Salineiro foi eleito vereador por Campo Grande em 2016, sendo o mais votado com 8.776 votos obtidos. Em 2018, lançou candidatura a deputado estadual, obteve 18.953 e não foi eleito. Em 2020, foi vice na campanha a prefeito do promotor Sérgio Harfouche, mas também não foi eleito.

Jornal Midiamax