Política / Transparência

Reeducandos do semiaberto e aberto reformam 1ª Central Integrada de Alternativa Penal de MS

Obra é financiada com o desconto de 10% no salário de todos os presos que exercem ocupação produtiva remunerada em Campo Grande

Marcelo Nantes Publicado em 16/09/2021, às 10h56

Prédio da 1ª Central Integrada de Alternativa Penal (CIAP) começa a ser reformado por reeducandos dos regimes aberto e semiaberto
Prédio da 1ª Central Integrada de Alternativa Penal (CIAP) começa a ser reformado por reeducandos dos regimes aberto e semiaberto - Arquivo

O prédio da CIAP (1ª Central Integrada de Alternativa Penal) do Mato Grosso do Sul começou a ser reformado com mão de obra formada por reeducandos dos regimes semiaberto e aberto da Capital. O investimento para a obra é proveniente da 2ª Vara de Execução Penal, por meio dos valores arrecadados com o desconto de 10% no salário de todos os presos que exercem ocupação produtiva remunerada em Campo Grande.

A CIAP vai trabalhar com uma grande rede de parcerias de políticas públicas, estadual e municipal, para reinserção social. A reforma inclui troca de forros, pisos, instalação elétrica, hidráulica, paisagismo, pintura interna e externa. Para os trabalhos, foi destinado um grupo de 15 reeducandos que receberão um salário mínimo, além de remição de um dia de pena a cada três de serviços prestados.

A implantação da CIAP é uma iniciativa do Programa Fazendo Justiça, do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), com o apoio do TJMS (Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul). Tem o acompanhamento da COVEP/GMF (Coordenadoria das Varas de Execução Penal e Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário).

Jornal Midiamax