Política / Transparência

Para aquecer economia na crise sanitária, prefeitura de MS paga metade do 13º de servidores

Prefeitura de Ivinhema segue fórmula do INSS e libera 50% do abono de final de ano para seus funcionários

Humberto Marques Publicado em 17/06/2021, às 17h47

Vista de Ivinhema; funcionalismo recebeu parte do 13º salário
Vista de Ivinhema; funcionalismo recebeu parte do 13º salário - PMI/Divulgação

A Prefeitura de Ivinhema –a 294 km de Campo Grande– antecipou 50% do 13º salário de servidores municipais. O pagamento, depositado na terça-feira (15), foi uma alternativa encontrada para aquecer a economia local que, como em diversos municípios do país, foi fragilizada pela pandemia de coronavírus (Covid-19).

A antecipação já havia sido anunciada pelo prefeito Juliano Ferro (DEM) e pelo secretário de Finanças, José Carlos Viana. A prática não chega a ser uma novidade: em 24 de maio, o Ministério da Economia anunciou a antecipação de 50% do 13º salário de aposentados e pensionistas

O INSS concluiria o pagamento até 8 de junho. O pagamento também foi antecipado em razão da pandemia de coronavírus, representando recursos extras para cerca de 30 milhões de pessoas.

Via assessoria, a gestão de Ivinhema também admitiu que a medida contribui para o aquecimento da economia durante o período de enfrentamento à crise sanitária provocada pela pandemia de Covid-19. Desde janeiro, a prefeitura já realiza o pagamento dos salários dos servidores dentro do mês trabalhado.

Boletim desta quinta-feira (17) aponta que a Covid-19 infectou 4.141 pessoas em Ivinhema desde o início da pandemia, causando 57 mortes. Quatro mil pessoas já se recuperaram e 84 casos seguem ativos –com 16 pacientes internados, 8 deles em UTIs–, além de 329 pessoas serem monitoradas e 16 que estão em investigação.

Jornal Midiamax