Política / Transparência

Lei sobre orçamento de Campo Grande aponta crescimento 'muito baixo', estima secretário

Comparado com a peça orçamentária deste ano, o crescimento para 2022 fica na casa de 0,37%

Mayara Bueno Publicado em 19/04/2021, às 09h40

Prefeitura de Campo Grande
Prefeitura de Campo Grande - (Foto: Arquivo Midiamax)

Em relação ao orçamento de Campo Grande de 2021, a previsão para o próximo ano é de crescimento de 0,37%. O índice é 'muito baixo', segundo o secretário de Finanças e Planejamento do município, Pedro Pedrossian Neto. Chegou à Câmara Municipal a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) que traça metas, investimentos e receitas para o ano seguinte - a peça antecede a LOA (Lei Orçamentária Anual), votada sempre no fim do ano.

"É uma LDO bastante conservadora, para não dizer pessimista. Se a economia melhorar, a gente pode ser surpreendido positivamente. O errado é colocar uma previsão acima agora". O titular afirma que, comparado com a inflação, houve queda de 4,65% nas projeções estipuladas na lei.  Entre outros pontos, a LDO também aponta renúncia fiscal que, neste caso, está na ordem de R$ 24,6 milhões, e também gastos com servidores.

Agora, a proposição começa a tramitar na Casa de Leis. A chegada da peça é comunicada oficialmente em plenário, depois um relator na Comissão de Finanças é designado. A partir disto, um parecer é elaborado e, até o fim do primeiro semestre de 2021, terá de ser votado pelos vereadores. 

Na segunda metade do ano chega a LOA (Lei Orçamentária Anual) que, basicamente, tem o conteúdo da LDO, mas carrega caráter de definitivo - apesar de se tratar de projeções.

Jornal Midiamax