Política / Transparência

Governo federal quer atrair empresas para viabilizar revitalização da bacia do Rio Taquari

Ministério abriu edital a fim de atrair recursos privados para revitalização do Taquari, um dos principais do Pantanal Sul-mato-grossense.

Jones Mário Publicado em 03/02/2021, às 18h27

Rio Taquari. (Silvio de Andrade/Governo de MS)
Rio Taquari. (Silvio de Andrade/Governo de MS) - Rio Taquari. (Silvio de Andrade/Governo de MS)

O Ministério do Desenvolvimento Regional abriu edital para receber projetos de revitalização de bacias hidrográficas, entre elas a do Rio Taquari, em Mato Grosso do Sul. A pasta recebe propostas até o próximo dia 11.

Segundo divulgou o ministério, o edital é voltado para organizações com ou sem fins lucrativos. A ideia é que o projeto viabilize a captação de recursos privados, de empresas alinhadas a práticas de sustentabilidade.

As propostas selecionadas serão levadas a empresas de diversos segmentos. O governo federal aposta na valorização de marcas alinhadas à proteção ambiental para atrair estas empresas.

Os projetos devem se guiar por práticas como manejo florestal sustentável; proteção e recuperação de áreas de preservação permanente, prioritariamente de nascentes e de áreas de recarga de aquíferos; implantação de sistemas agroflorestais; contenção de processos erosivos; soluções sustentáveis de saneamento no meio rural e reuso de água no meio urbano; técnicas de engenharia natural para infiltração da água; e economia circular da água.

A iniciativa integra o Programa Águas Brasileiras, que reúne ministérios do Desenvolvimento Regional; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Meio Ambiente; da Ciência, Tecnologia e Inovação; e a CGU (Controladoria-Geral da União).

Além do Taquari, o edital também prevê a revitalização das bacias dos rios São Francisco, Parnaíba e Tocantins-Araguaia.

O Rio Taquari, um dos principais cursos d’água do Pantanal, é também um dos mais degradados pela ocupação humana. Depois de um intenso processo de assoreamento, provocado pelo avanço das áreas de pastagem e plantio, o rio mudou de curso, extravasou suas margens e inundou permanentemente uma área de 1,3 milhão de hectares, região chamada de Paiaguás do Xaraiés.

Jornal Midiamax