Política / Transparência

Governo de MS arrecada R$ 405 milhões com IPVA em janeiro

Até o último dia 29 de janeiro, o governo de Mato Grosso do Sul arrecadou R$ 405 milhões com o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). Foi nessa data que se encerrou o prazo para pagamento do tributo à vista ou da primeira parcela. São mais de 1 milhão de veículos cujos proprietários […]

Adriel Mattos Publicado em 05/02/2021, às 12h08

Ilustrativa (Foto: Divulgação / Portal do Governo de Mato Grosso do Sul)
Ilustrativa (Foto: Divulgação / Portal do Governo de Mato Grosso do Sul) - Ilustrativa (Foto: Divulgação / Portal do Governo de Mato Grosso do Sul)

Até o último dia 29 de janeiro, o governo de Mato Grosso do Sul arrecadou R$ 405 milhões com o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). Foi nessa data que se encerrou o prazo para pagamento do tributo à vista ou da primeira parcela.

São mais de 1 milhão de veículos cujos proprietários devem recolher o imposto. Segundo a Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda), quase 438 mil contribuintes optaram pelo pagamento à vista. Isso representa uma entrada de R$ 374 milhões nos cofres estaduais.

Outros R$ 30 milhões foram a título de pagamento do primeiro vencimento A expectativa da pasta é arrecadar R$ 890 milhões com o tributo neste ano. Ou seja, o Estado já recolheu 45% do total esperado.

Prazo

No caso dos contribuintes que perderam o prazo de pagamento, a Sefaz orienta que a regularização pode ser feita pela internet ou diretamente em uma Agenfa (Agência Fazendária). O cidadão deve ficar ciente que pagará juros e multas pelo atraso.

Em caso de dúvida, o contribuinte pode ir a uma Agenfa ou à Unidade de Fiscalização do IPVA, que fica na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 858, em Campo Grande. O atendimento é das 7h30 às 13h30. Há ainda a possibilidade de atendimentos pelos telefones  (67) 3316-7500 / 3316-7534 / 3316-7541.

Alíquotas

O governo manteve para 2021 os descontos e as condições especiais dos anos anteriores. Carros de passeio, por exemplo, vão continuar com desconto de 25%, resultando em uma alíquota de 3,5%. 

Caminhão, ônibus, micro-ônibus e veículos de passeio novos permanecem isentos pelo primeiro ano. Para motocicletas, a primeira tributação tem desconto de 50%, resultando em uma alíquota de 1% sobre a tabela da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

As alíquotas para veículos usados são de 2% para caminhão, ônibus, motos, triciclos e quadriciclos; de 2,5% para embarcações e aeronaves; 3% para aeronaves e lanchas esportivas, como jet-skis, motor-home e kart; 3,5% para carros de passeio; 4,5% para carros de passeio com capacidade de até oito passageiros, que utilizam óleo diesel; e de 7% para veículos de corrida. Para frotistas, a redução também permanece inalterada.

Jornal Midiamax