Política / Transparência

Ex-candidata não explica uso de recursos próprios acima do seu patrimônio e tem contas desaprovadas

Concorrente ao cargo de vereadora pelo SD de Campo Grande entregou toda a documentação exigida, mas deixou de esclarecer uso de verbas próprias

Humberto Marques Publicado em 22/04/2021, às 17h36

Fórum Eleitoral de Campo Grande, no Parque dos Poderes
Fórum Eleitoral de Campo Grande, no Parque dos Poderes - Arquivo/Midiamax

Kelly Cristina da Silva Ferreira Espósito, que concorreu a vaga de vereadores na Câmara Municipal de Campo Grande pelo Solidariedade nas Eleições 2020, teve desaprovadas suas contas de campanha. A decisão partiu da 44ª Zona Eleitoral e teve como base a falta de detalhes sobre o uso de recursos próprios na disputa.

A recomendação pela desaprovação partiu da análise técnica do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). Embora a documentação recebida estivesse de acordo, a candidata não se manifestou a respeito do uso de recursos próprios em campanha em valores superiores ao valor do patrimônio declarado no registro da candidatura.

Para a juíza Joseliza Alessandra Vanzeli Turine, a candidata não comprovou que doações recebidas estavam de acordo com o previsto na legislação, “caracterizando recurso de origem não identificada”.

Pela decisão, a candidata terá de devolver R$ 1.521 ao Tesouro Nacional após o trânsito em julgado da sentença. Cabe recurso.

Jornal Midiamax