Política / Transparência

Curva continua ascendente e governo de MS suplementa R$ 10 milhões para combater Covid-19

A curva ainda ascendente de casos da Covid-19 levou o governo de Mato Grosso do Sul a destinar mais R$ 10 milhões para ações de combate à doença causada pelo novo coronavírus. Nesta segunda-feira (25), o Estado chegou a 156.711 casos confirmados e 2.819 mortes. No total, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) autorizou suplementação na […]

Adriel Mattos Publicado em 25/01/2021, às 12h18 - Atualizado às 12h19

Governadoria de MS, no Parque dos Poderes | Foto: Subcom | Divulgação
Governadoria de MS, no Parque dos Poderes | Foto: Subcom | Divulgação - Governadoria de MS, no Parque dos Poderes | Foto: Subcom | Divulgação

A curva ainda ascendente de casos da Covid-19 levou o governo de Mato Grosso do Sul a destinar mais R$ 10 milhões para ações de combate à doença causada pelo novo coronavírus. Nesta segunda-feira (25), o Estado chegou a 156.711 casos confirmados e 2.819 mortes.

No total, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) autorizou suplementação na ordem de R$ 79,3 milhões. Verba de R$ 62,1 milhões da reserva de contingência foi cancelada para repasse às entidades e pastas estaduais.

O maior montante dessa abertura de crédito vai para a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos). São R$ 20,3 milhões para “obras de drenagem e pavimentação em áreas urbanas degradadas”, R$ 20,1 milhões para “construção, pavimentação e implantação de rodovias” e R$ 14,1 milhões para manutenção e operacionalização da autarquia.

A Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura) terá R$ 4,1 milhões para “construção, reforma e adequação de aeródromos”, R$ 1,5 milhão para “acompanhamento da execução de projetos da eficiência energética em prédios públicos” e mais R$ 24,5 mil para manutenção e operacionalização da pasta.

Foram cancelados e depois suplementados novamente R$ 4 milhões para “pagamento de outros serviços e encargos”, no âmbito da unidade orçamentária do EGE/FIN (Encargos Gerais e Financeiros do Estado).

Já na Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), foi anulada verba de R$ 3 milhões para “coordenação das ações de desenvolvimento econômico através do Fadefe” (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e de Equilíbrio Fiscal do Estado). Esses recursos irão para a “coordenação e execução das ações de fomento à unidades produtivas do setor industrial”.

No Funter (Fundo de Regularização de Terras), foram destinados R$ 1,8 milhão para gestão e manutenção das atividades.

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) teve cancelados e depois suplementados novamente R$ 145 mil para o Centro de Pesquisa e Reabilitação da Ictiofauna Pantaneira (Aquário do Pantanal) e R$ 100 mil para “gestão e gerenciamento de recursos hídricos”.

Por fim, a Segov (Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica) vai receber R$ 4,2 mil a título de manutenção e operacionalização da pasta.

Jornal Midiamax