Política / Transparência

Corumbá inicia estudos para aderir a previdência complementar

A prefeitura de Corumbá iniciou os estudos para implantação do RPC (Regime de Previdência Complementar), que passará a ser obrigatório a partir de 13 de novembro em função da Reforma da Previdência – aprovada no País com a Emenda Constitucional n.º 13. Reunião com gestores foi realizada na sexta-feira (19) pela Adimp-MS (Associação dos Institutos […]

Danúbia Burema Publicado em 20/02/2021, às 17h16

(Divulgação)
(Divulgação) - (Divulgação)

A prefeitura de Corumbá iniciou os estudos para implantação do RPC (Regime de Previdência Complementar), que passará a ser obrigatório a partir de 13 de novembro em função da Reforma da Previdência – aprovada no País com a Emenda Constitucional n.º 13.

Reunião com gestores foi realizada na sexta-feira (19) pela Adimp-MS (Associação dos Institutos Municipais e Estadual da Previdência do Estado de Mato Grosso do Sul) para tratar do assunto. O secretário municipal de Finanças e Gestão de Corumbá, Luiz Henrique Maia de Paula, esteve presente no encontro e o município fará parte de grupo de trabalho que atuará em conjunto na implantação.

Entre as mudanças da nova previdência estão a limitação dos valores dos benefícios de aposentadoria e pensão concedidos pelo RPPS (Regime Próprio de Previdência Social), ao limite máximo estabelecido para os benefícios do Regime Geral de Previdência Social, pagos pelo INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social). Pela emenda constitucional, os benefícios vindouros deverão ser pagos com base no saldo de conta acumulado, oriundo das próprias contribuições do trabalhador.

Jornal Midiamax