Política / Transparência

Itaipu e UEMS fazem convênio para construir laboratório de Fertilidade do Solo por R$ 7,8 milhões

Convênio entre a Itaipu Binacional e UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) vai desenvolver projeto denominado Laboratório de Fertilidade do Solo, Herbário e Ações Socioambientais e Técnico Científicas pelo valor de R$ 7,8 milhões.  O extrato de convênio foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (3). A parceria tem por finalidade […]

Renata Volpe Publicado em 03/09/2020, às 12h14 - Atualizado às 12h37

Ilustrativa (Foto: Divulgação / UEMS).
Ilustrativa (Foto: Divulgação / UEMS). - Ilustrativa (Foto: Divulgação / UEMS).

Convênio entre a Itaipu Binacional e UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) vai desenvolver projeto denominado Laboratório de Fertilidade do Solo, Herbário e Ações Socioambientais e Técnico Científicas pelo valor de R$ 7,8 milhões. 

O extrato de convênio foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (3). A parceria tem por finalidade a cooperação da Itaipu e da UEMS para desenvolvimento conjunto e construção do Laboratório na região do ConeSul de Mato Grosso do Sul, no município de Mundo Novo.

Assim, o valor total do convênio é de R$ 7.872.714,34, sendo R$ 5.097.046,22 provenientes da Itaipu e o montante de R$ 2.775.668,12 da UEMS, distribuídos em R$ 1.233.108,12 em recursos financeiros e R$ 1.542.560,00 em recursos econômicos. 

Portanto, a vigência do convênio é de 36 meses e foi assinado pelo diretor brasileiro da Itaipu Joaquim Silva e Luna e o diretor paraguaio, Ernst Ferdinand Bergen Schimidt, além do reitor da UEMS, Laércio Alves de Carvalho.

Laboratório

O laboratório será instalado no município de Mundo Novo. Segundo o gerente da UEMS no município, professor Leandro Marra, o projeto foi apresentado à Superintendência de Meio Ambiente da Itaipu em maio e assinado em 13 de agosto. “Serão dois prédios, o laboratório com 331m² e o herbário com 150 m². O convênio será para construir e estruturar, com a instrumentalização para os laboratórios funcionarem plenamente”.

Marra explica ainda que o laboratório tem objetivo de desenvolver as ações socioambientais na região do Conesul e sul fronteira do Estado. “O projeto tem 30 objetivos específicos e contém mais 10 projetos de pesquisa e 8 de extensão, todos na região do Conesul e região sul fronteira”.

Ainda segundo o professor, o laboratório após construído, além de melhoria de pesquisa aos acadêmicos, vai oferecer serviços à sociedade de análise química e física. “Os produtores da região geralmente enviam análises de solo para Campo Grande ou Cascavel, no Paraná e o laboratório vai suprir essa lacuna. As análises vão ser oferecidas a preço de custo”.

Jornal Midiamax