Política / Transparência

Em nova decisão, Justiça impede Governo de desmatar área do Parque dos Poderes

Justiça de Mato Grosso do Sul concedeu ao MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) tutela de urgência para que o Governo de MS não comece, continue ou conclua o desmatamento na área do Parque dos Poderes, em Campo Grande, para a construção de um estacionamento e um prédio ao lado do TJMS (Tribunal […]

Fábio Oruê Publicado em 20/11/2020, às 19h01 - Atualizado em 21/11/2020, às 11h13

Vista aérea do Parque em 2020 | Foto: Google Earth | Reprodução
Vista aérea do Parque em 2020 | Foto: Google Earth | Reprodução - Vista aérea do Parque em 2020 | Foto: Google Earth | Reprodução

Justiça de Mato Grosso do Sul concedeu ao MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) tutela de urgência para que o Governo de MS não comece, continue ou conclua o desmatamento na área do Parque dos Poderes, em Campo Grande, para a construção de um estacionamento e um prédio ao lado do TJMS (Tribunal de Justiça de MS).

Conforme a decisão do juiz da Primeira Vara de Direitos Coletivos da Capital, Ariovaldo Nantes Corrêa, publicada nesta sexta-feira (20), caso o governo descumpra a ordem, multa diária de R$ 5 mil será aplicada.

O magistrado explica no documento que a decisão foi tomada devido a possível lesão direta ao direito a um meio ambiente ecologicamente equilibrado e deu prazo para que o Estado e o MP apresentem provas de que o desmatamento do Parque será feito sem prejuízos a fauna e flora, para que só depois disso conceda a liberação.

Há um mês, o Jornal Midiamax flagrou limpeza e desmate de área ao lado do prédio do TJMS, em Campo Grande. Na época, o Governo do Estado afirmou que a responsabilidade pela obra era do próprio Tribunal de Justiça, já que o objetivo da obra seria construção de estacionamento no local.

Impasse na Justiça

Tudo começou quando o Governo do Estado encaminhou ao Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), em novembro de 2018, pedido para desmatar área de 3,31 hectares do parque para construir estacionamento.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) chegou a confirmar, meses depois, que além de estacionamento mais prédios seriam construídos no Parque.

Jornal Midiamax