Política / Transparência

Justiça bloqueia R$ 190,3 milhões em bens de 19 réus por esquema da JBS em MS

A suspeita de esquema de troca de incentivos fiscais e propina entre a JBS e a gestão estadual gerou bloqueio de R$ 190,3 milhões em bens de 19 réus em Mato Grosso do Sul, segundo determinou a 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do […]

Evelin Cáceres Publicado em 15/05/2020, às 08h58

(Foto: Arquivo Midiamax)
(Foto: Arquivo Midiamax) - (Foto: Arquivo Midiamax)

A suspeita de esquema de troca de incentivos fiscais e propina entre a JBS e a gestão estadual gerou bloqueio de R$ 190,3 milhões em bens de 19 réus em Mato Grosso do Sul, segundo determinou a 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

A decisão foi proferida no final do mês de abril e a ação tramita em sigilo. A denúncia foi feita após o promotor da 30ª Promotoria de Justiça, Marcos Alex Vera de Oliveira, instaurar inquérito que resultou nesta ação para investigar suposta troca de incentivos fiscais na gestão de André Puccinelli (MDB) por propina da JBS. O Ministério Público Estadual calcula prejuízo de R$ 24.412.625,31 aos cofres públicos de Mato Grosso do Sul.

Delação premiada feita pelos irmãos Wesley e Joesley Batista, donos da JBS, apontou também suposto esquema de propina para servidores do alto escalão do Governo de Reinaldo Azambuja (PSDB), que venceu as eleições em 2014 e assumiu em 2015 como governador de Mato Grosso do Sul.

No entanto, nesta ação do MPMS, foram bloqueados os bens de 11 pessoas e 8 empresas, entre eles o ex-governador André Puccinelli, André Puccinelli Júnior, João Paulo Calves e Jodascil Gonçalves Lopes, João Amorim, João Roberto Baird, Elza Cristina Araújo Santos, Micherd Jafar Júnior, Antônio Celso Cortez, João Maurício Cance e Ivanildo da Cunha Miranda e André Luiz Cance.

Também ficarão indisponíveis os bens de empresas como a Proteco Construções, Instituto Ícone, PSG Tecnologia Aplicada, Itel Informática, Mil Tec, Congeo Construções e a Gráfica Alvorada.

Jornal Midiamax