Política / Transparência

Ex-secretário-adjunto da Sefaz é afastado para assumir cargo em Brasília

O auditor fiscal, Cloves Silva, ex-secretário-adjunto da Sefaz (Secretaria de Fazenda) e presidente do Sindifisco-MS (Sindicato dos Auditores Fiscais) foi afastado do cargo para assumir mandato classista na Fenafisco (Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital), em Brasília, até 2022. O decreto autorizando o afastamento de Cloves foi publicado no Diário Oficial do Estado d...

Renata Volpe Publicado em 20/02/2020, às 09h20 - Atualizado às 11h02

Sefaz contratou empresa de informática. (Divulgação, Portal do MS)
Sefaz contratou empresa de informática. (Divulgação, Portal do MS) - Sefaz contratou empresa de informática. (Divulgação, Portal do MS)

O auditor fiscal, Cloves Silva, ex-secretário-adjunto da Sefaz (Secretaria de Fazenda) e presidente do Sindifisco-MS (Sindicato dos Auditores Fiscais) foi afastado do cargo para assumir mandato classista na Fenafisco (Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital), em Brasília, até 2022.

O decreto autorizando o afastamento de Cloves foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (20) e assinado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) com data de 4 deste mês.

Conforme a publicação, Cloves fica autorizado a se afastar do cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual, lotado na Sefaz, para exercício do Mandato Classista na Fenafisco, no período de 1º de janeiro de 2020 a 31 de dezembro de 2022.

O auditor assumiu a presidência do Sindifisco este ano. Em 2019, ele foi eleito como diretor de comunicação da Federação no triênio 2020 -2022. Segundo o Portal da Transparência, pelo cargo de auditor fiscal, Cloves Silva tem remuneração fixa de R$ 45.823,89 e salário líquido de R$ 27.155,67.

Mandato classista

O mandato classista é uma licença sem remuneração concedida para o desempenho de mandato em confederação, federação, associação de classe de âmbito nacional, sindicato representativo da categoria ou entidade fiscalizadora da profissão;

Somente poderão ser licenciados servidores eleitos para cargos de direção ou representação nas referidas entidades, desde que cadastradas no Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado. A licença terá duração igual à do mandato, podendo ser prorrogada, no caso de reeleição, e por uma única vez.

Jornal Midiamax